alimentação à base de plantas vem crescendo exponencialmente nos últimos anos. Com a crescente demanda por alimentos livres de origem animal temos visto cada vez mais marcas de carne, leites e laticínios vegetais aparecem no marcado global. A onda de alimentos plant-based, como é popularmente chamado, também vem crescendo no Brasil e hoje temos vários players que estão se consolidando neste mercado. No último ano também temos visto os maiores players de proteína animal incluírem opções de proteínas vegetais em seus portfólios.

Por isso, hoje o assunto é sobre as próximas tendências no mercado plant-based! Eu fiz uma lista com as tendências que acredito que irão se tornar mainstream ao longo dos próximos anos:

1. Frutos do Mar à base de plantas 

Aqui no Brasil já percebemos a onda de análogos de peixes e players como a The New Butchers, Veg Way e a Seara que já oferecem salmão, bacalhau e isca de peixe. Agora, em nível global, empresas como New Wave Foods, Good Catch e Cavi-art também estão explorando opções como atum, camarão, bolinho de siri e até caviar à base de plantas. 

frutos do mar vegano

2. Peixe Cru à base de plantas 

Também estamos vendo uma onda de foodtechs como Vegan Zeastar, Save the Sea, Odontella, Ocean Hugger Foods que estão lançando peixes crus à base de plantas, como sashimi de salmão, salmão defumado e atum cru. A imagem abaixo é do sashimi de atum e salmão da Vegan Zeastar.

sashimi vegano

3. Carne vegana de corte inteiro 

Empresas como a Aleph Farms, Juicy Marbles e The Better Meat Co. já estão explorando esse vertical. A Juicy Marbals lançou o primeiro bife de filé mignon à base de plantas do mundo e a The Better Meat Co. está criando carnes vegetais de corte inteiro com uma micoproteína à base de batatas, que contém mais ferro do que carne bovina, mais proteína do que ovos e mais potássio do que bananas. Cortes inteiros no mercado à base de plantas ainda são novidade e eu acredito que até o fim desse ano vamos ver diversas empresas entrando nesse segmento, inclusive no Brasil.  

carne de corte inteiro vegano

4. Fermentação de Precisão

Diferentemente das alternativas à base de plantas para leite e laticínios, startups como a Perfect Day e New Culture Foods estão recriando a principal proteína do leite de vaca a partir de um processo de fermentação de precisão. Com esse processo, a Perfect Day está criando leite, queijo e sorvete idênticos às proteínas lácteas, enquanto New Culture Foods promete lançar a melhor muçarela sem uso de animais, no entanto, com o mesmo sabor e textura do convencional a partir da recriação da caseína que permite o derretimento e elasticidade da muçarela.

Eu acredito que a utilização desses microrganismos em alimentos vai trazer inúmeras mudanças na indústria de alimentos nos próximos anos.

Além das tendências acima eu acredito que terá um crescimento grande na área de carne cultivada em laboratório. Como não é feita à base de plantas, não incluí na lista, no entanto acho que vale mencionar aqui. 

Ainda não temos nenhuma foodtech brasileira produzindo carne cultivada no Brasil, mas nos Estados Unidos, Ásia e Europa as foodtechs de cultured meat vêem crescendo muito nos últimos anos. A pioneira nesse mercado foi a Memphis Meats (agora renomeada para Upside Foods) que está trabalhando para iniciar a comercialização de frango feito em laboratório até o final de 2021. 

Caso você nunca ouviu falar em carne cultivada eu explico. É uma carne produzida por cultivo de células in vitro de animais, em vez de animais abatidos. Ou seja, é possível produzir carne cultivada sem matar o animal. 

Se você chegou até aqui e quer saber mais sobre as tendências e novidades do mercado vegano, no Vegan Business temos notícias diárias. Inclusive, se você tiver vontade de investir em startups veganas, em breve Vegan Business vai se tornar a primeira plataforma de Equity Crowdfunding focada no mercado plant-based

Vamos apoiar empresas e empreendedores em todo o ecossistema, incluindo startups que estão construindo um futuro melhor nas áreas de: alimentos, cosméticos e maquiagens, produtos de higiene pessoal e limpeza, vestuário e moda, como também, tecnologias que facilitam a vida sem prejudicar o planeta e os animais. Se quiser ter oportunidades de investimento em primeira mão, clique aqui para se cadastrar na nossa lista de investidores.

Para você que caiu de parqueadas por aqui, seja muito bem-vindo! Meu nome é Christian, mas as pessoas me chamam carinhosamente de Crica. Sou dinamarquês-brasileiro e vivo no Brasil ha 10 anos. Sou cofundador do Zen Wellness, fundador do Vegan Business, Investidor Anjo e Investment Advisor da Veg Capital no Brasil. Conecte comigo pelo LinkedIn e Instagram

49/07

Crica Wolthers

Dinamarquês-brasileiro, empreendedor, investidor anjo em negócios veganos.

Deixe seu comentário

Quem é crica
Christian ‘Crica’ Wolthers
Dinamarquês-brasileiro, pai, marido, co-fundador do Zen, investidor anjo, apresentador do Crica das Plantas e palestrante.
Leia mais
Meditações Guiadas, Programas de Autoconhecimento e muito mais.
Conheça o Zen!
Download NOW