Quanta água devemos beber por dia? Acontece que 0 mantra de “beber pelo menos oito copos de água por dia” tem pouca evidência científica subjacente. De onde veio essa idéia? A recomendação foi atribuída a um artigo de 1921, no qual o autor mediu seu próprio xixi e seu suor e determinou que perdemos cerca de 3% do nosso peso corporal em água por dia, ou cerca de 8 xícaras. Consequentemente, durante muito tempo, as diretrizes de requisitos de água para a humanidade foram baseadas em apenas uma pessoa.

Há evidências de que não beber o suficiente pode estar associado a quedas e fraturas, acidentes vasculares cerebrais, doenças cardíacas, distúrbios pulmonares, doenças renais, cálculos renais, câncer de bexiga e cólon, infeções do trato urinário, obstipação, boca seca, cavidades, diminuição da função imune e formação de cataratas.

Houve alguns grandes estudos em que se mediu a ingestão de líquidos antes do desenvolvimento de doenças. Por exemplo, um estudo feito a 48.000 homens em Harvard descobriu que o risco de câncer de bexiga diminuiu 7% por cada copo extra diário de líquidos que bebemos. Portanto, uma alta ingestão de água de 8 xícaras por dia pode reduzir o risco de câncer de bexiga em cerca de 50%, potencialmente economizando milhares de vidas.

O editorial comentava que as estratégias para prevenir os cânceres mais prevalentes no Ocidente são, em princípio, muito simples. Para prevenir câncer de pulmão, parar de fumar; para prevenir câncer de mama, manter o peso corporal e fazer exercício ideal; e para prevenir o câncer de pele, ficar fora do sol. Agora, essa maneira aparentemente simples de reduzir o risco de câncer de bexiga: beber mais líquidos.

Provavelmente, a melhor evidência que temos para um corte da ingestão de água vem do estudo de saúde adventista, no qual 20 mil homens e mulheres foram estudados. Cerca de metade eram vegetarianos,e também recebiam água extra e comiam mais frutas e vegetais. Aqueles que bebiam 5 ou mais copos de água por dia tinham cerca de metade do risco de morrer de doença cardíaca em comparação com aqueles que bebiam 2 ou menos copos por dia. Como no estudo de Harvard, essa proteção foi encontrada depois de se ter controlado outros fatores, como dieta e exercício. Esses dados sugerem que foi a própria água que estava diminuindo o risco, talvez reduzindo a viscosidade do sangue (espessura do sangue).

Com base em todas as melhores evidências até hoje, as autoridades da Europa, o Instituto de Medicina dos EUA e a Organização Mundial da Saúde recomendam entre 2,0 e 2,7 litros de água por dia para mulheres e de 2,5 a 3,7 litros (10 a 15 xícaras) por dia para homens. Isso inclui água de todas as fontes, não apenas bebidas. Obtemos cerca de um litro de alimentos e a água que nosso corpo faz. Assim, isso se traduz em uma recomendação para as mulheres beberem 4 a 7 xícaras de água por dia e homens de 6 a 11 xícaras, assumindo apenas atividade física moderada a temperaturas ambiente moderadas.

Também podemos obter água de todas as outras bebidas que consumimos, incluindo bebidas com cafeína, com exceção de bebidas alcoólicas mais fortes, como vinhos e bebidas espirituosas. A cerveja pode deixá-lo com mais água do que antes, mas o vinho desidrata-se ativamente. No entanto, nos estudos de câncer e doenças cardíacas que mencionei acima, os benefícios foram encontrados apenas com o aumento do consumo de água e outras bebidas.

Surpreendido com os dados? Infelizmente, muito do que fazemos em medicina tem bases precárias. Esse é o impulso da idéia da medicina baseada em evidências (que conceito!). Ironicamente, esse novo movimento pode prejudicar alguns dos tratamentos mais eficazes.

O texto acima foi escrito por Dr. Michael Greger, extraído do NutritionFacts.org e traduzido com autorização.

Dr. Greger é médico, especialista em nutrição, autor do New York Times Best Seller ‘How Not to Die‘, palestrante e fundador da instituição de caridade sem fins lucrativos, NutritionFacts.org.

Admiro muito o trabalho do Dr. Greger e confio demais no conteúdo produzido por ele e divulgado no NutritionFacts.org.

Se você tiver interesse em ler mais sobre saúde, autoconhecimento, alimentação e ciências da nutrição, visite minha lista de livros.

45/03

Crica Wolthers

Dinamarquês-brasileiro, pai, marido, co-fundador do Zen, investidor anjo na SimpleSign e Hilfr, apresentador do Crica das Plantas e palestrante.

Deixe seu comentário

Quem é crica
Christian ‘Crica’ Wolthers
Dinamarquês-brasileiro, pai, marido, co-fundador do Zen, investidor anjo, apresentador do Crica das Plantas e palestrante.
Leia mais
Meditações Guiadas, Programas de Autoconhecimento e muito mais.
Conheça o Zen!
Download NOW